A importância de Silenciar a Mente

A importância de Silenciar a Mente

Essa é a premissa para o sábio que entende a necessidade e a importância de silenciar a mente, pois a realidade de fato não é real, mas um sonho persistente.

Existe um canto celta que nos fala da importância de observamos o nascer e o pôr do sol. Ao nascer do sol a luz nos declara tudo o que a nossa mente entende como a realidade que nos permeia, mas ao se pôr, tudo parece que foi um sonho.

Por que é tão difícil conviver com o próprio silêncio?

Podemos entender a forma como vemos o mundo pela maneira como lidamos com os obstáculos naturais que enfrentamos diariamente. Por mais que entendamos como as coisas acontecem de modo natural, o pensamento humano nos leva a crer que as adversidades comuns do dia-a-dia, são de certa forma, pessoais.

Sendo assim, podemos dizer então, que a alma não pode ver sem que antes os olhos vejam, e os olhos apenas veem o que é ilusório. A realidade é travessa e nos prega uma peça sempre que nos encontra distraídos.

Contudo, nos deixamos levar pela ilusão que a realidade representa, mas a realidade não passa de uma projeção de nós mesmos e das pessoas com as quais convivemos. 

Um bom exemplo de que nos apegamos facilmente a uma realidade inventada, é o fato de estarmos sempre em julgamento. Julgamos tudo e a todos, o tempo todo.

imagem meramente ilustrativa

Em época de uma pandemia de gripe, uma senhora americana saía cedo de casa todos os dias para fazer compras no supermercado do seu bairro. Lá, ela acumulava até três carrinhos de compras repletos de papel higiênico e água engarrafada.

As pessoas questionavam em silêncio, o porquê daquele comportamento aparentemente egoísta, pois, ao olhar da maioria das pessoas aquela senhora estava se preparando sozinha para enfrentar uma guerra, sem se preocupar com outros consumidores.

Então um dia, uma criança na fila do caixa do supermercado, indagou a senhora, curiosamente: “Por que a senhora precisa de tantos rolos de papel higiênico?”

A senhora respondeu: “Ah! Não são pra mim. Tenho aqui uma lista com todos os endereços para que o supermercado entregue. São pessoas idosas que moram sozinhas e não podem se arriscar a fazer suas próprias compras”.

Neste momento as pessoas sorriram para si mesmas satisfeitas e levemente envergonhadas.

Foi preciso que o olhar inocente de uma criança investigasse o que estava acontecendo para que houvesse uma compreensão da alma, e surgisse então, um estado de empatia e respeito entre as pessoas naquele recinto.

A mente é utilizada como meio para a finalidade humana de procriar e sobreviver. Por esse motivo, ao observarmos um ato aparentemente ameaçador, nos defendemos julgando o outro e ocupando a mente com pensamentos desnecessários.

A atividade do outro nem sempre é uma ameaça pessoal, mas a nossa própria projeção a torna um perigo aparente.

A mente silenciada não perde tempo com julgamentos. Podemos nos prevenir compreendendo que o desejo de não sermos inferiorizados surge do egoísmo e do medo que geram um turbilhão de pensamentos capazes de alterar nosso estado emocional.

Ao observarmos que somos egoístas, o medo se dissipa, e avançamos mais um passo rumo ao autoconhecimento.

Como alcançar o estado da mente silenciosa?

A importância de silenciar a mente está, principalmente, na capacidade do ser humano em exercer o autoconhecimento. Estar no presente é não julgar, não dar oportunidade para o pensamento criar alternativas de projeção para o que entendemos como realidade.

Muitas pessoas acreditam que a meditação seja o único caminho para uma mente silenciosa, mas antes desta prática, é essencial criar para si o hábito de não julgar, estar presente, e estar atento ao momento em que se vivencia o cotidiano.

Meditação Guiada | Alma Antiga, Alma Velha - Patriccia de Lucca
clique aqui para assistir o vídeo

E além desse texto, preparei também, uma meditação guiada sobre a conciliação com sua alma antiga (alma velha). Assista ao vídeo no YouTube: Meditação Guiada | Alma Antiga, Alma Velha.

Deixe uma resposta